Skip to main content

You are here

Conduta do Mergulho

Seja um Mergulhador Responsável!
  • Informe-se sobre os ecossistemas marinhos que vai descobrir nos Açores
  • Informe-se sobre os habitantes que o vão acolher: tradições, história, economia, recursos naturais e culturais.
  • Esteja em forma! Se não mergulha há muito tempo, prepare-se para gerir bem a sua flutuabilidade: pulmão-balastro, colete e lastração óptima. Se necessário peça ao centro de mergulho para fazer um aperfeiçoamento da sua flutuabilidade.
  • Informe-se sobre o sítio do mergulho que vai descobrir, o que tornará o seu mergulho bem mais rico. Não será assim apenas um mergulhador-espectador e saberá identificar os animais, conhecer os seus comportamentos e saber onde procurá-los. Saberá observar a incrível fauna escondida!
  • Peça informação sobre as espécies ameaçadas, protegidas, e ainda, as espécies, potencialmente perigosas para os mergulhadores.
  • Escolha barbatanas curtas e pouco agressivas, no caso de não fazer um mergulho com corrente.

No Barco

  • Não deite nada no mar.
  • Peça um recipiente de lixo para depositar as pontas dos cigarros, os resíduos de plástico, as embalagens de alumínio, etc....
  • Tenha a preocupação de fixar correctamente os manómetros e fonte de ar alternativa junto do seu corpo de modo a não ficarem pendurados durante a imersão e arrastarem sobre os fundos, evitando a destruição da fauna e flora.
  • Pense em fazer uma imersão lenta e controlada, de modo a não chocar com a vida do fundo marinho e evitar possíveis problemas de narcose.
  • Controle a sua flutuabilidade, a colocação do corpo e equipamento, de modo a não tocar em organismos fixos, pequenos e frágeis, tendo especial atenção ao movimento das suas barbatanas. A multiplicação de choques destrói estes frágeis seres. Chame a atenção dos mergulhadores que não têm esse cuidado!
  • Considere como as suas interacções afectam a vida aquática. Evite tocar, utilizar, alimentar ou deslocar seres marinhos. Estas acções podem colocar em stress os seres, perturbar os seus comportamentos de alimentação e acasalamento, desequilibrar os ecossistemas ou provocar comportamento agressivo em espécies normalmente não agressivas.
  • Não incomode os animais! Se refugiarem-se no seu esconderijo, não os force a sair. Espere com paciência sem se mover até que reencontram a sua calma e saiam de novo.
  • Respeita a herança cultural subaquática. Os mergulhadores são privilegiados ao mergulhar em naufrágios, que também podem servir como habitats importantes para os seres marinhos. Ajude na preservação destes locais e não recolha objectos arqueológicos!
  • Não recolha recordações do fundo marinho. Tire fotos, leve recordações em sua mente e deixe apenas bolhas de ar!
  • Seja um modelo exemplar para outros mergulhadores! Dê um bom exemplo, nas suas interacções com o ambiente marinho de forma a que os outros possam aprender consigo.
  • Fotografe com cuidado. Muitos seres marinhos são frágeis, independentemente do seu tamanho. Técnicas de fotografia inapropriadas podem danificar a vida marinha sensível, com a batida de uma barbatana, a batida da câmara ou cilindro ou até mesmo o toque da mão.
  • Mantenha-se neutro. Os sistemas de fotografia podem adicionar lastro ou terem flutuabilidade positiva. Assegure-se de prender todo o material fotográfico e de mergulho, e de ajustar devidamente o seu lastro de modo a evitar o contacto com o substrato marinho. Pratique habilidades de flutuabilidade e fotográfica antes de mergulhar próximo de ambientes frágeis.
  • Resista à tentação. Evite tocar, manusear, alimentar, perseguir ou molestar seres marinhos. Evite alterar a sua posição para obter a foto perfeita. Muitos seres são tímidos e facilmente entram em stress, pelo que estas acções podem provocar alterações na alimentação, acasalamento ou provocar reacções agressivas.
  • Seja paciente. Enquanto mergulha, mova-se lentamente e permita que os seres marinhos apresentem seu comportamento natural para uma melhor foto.
  • Esforce-se por economizar água doce. É o nosso bem mais precioso!
  • Tenha preferência por instalações que evitem o desperdício da água doce, como por exemplo, pia para enxaguar os equipamentos e chuveiros com débito controlado.
  • Os Açores têm um enorme património natural e cultural. Quando não estiver a mergulhar, não hesite em sair do centro de mergulho ou do seu alojamento, para passear e conhecer outras belezas naturais dos Açores, assim como, a cultura do povo açoreano, conhecido pela sua simpatia e hospitalidade.
  • Não compre lembranças vindas do mar, como por exemplo, dentes de tubarão, estrelas-do-mar e conchas.
  • O Guia do Consumidor dos Peixes Açorianos informa o público do estado de sustentabilidade das populações das diferentes espécies de peixes, disponibilizando a informação para uma escolha consciente. Este guia pode ser encontrado em vários restaurantes dos Açores e no link.
  • Não consuma mariscos que estejam em época de defeso, em que é proibida a sua captura nos períodos de reprodução para reposição de stocks, como é o caso das lapas, cracas, cavacos, lagostas e santolas. Antes de consumir estes crustáceos nos restaurantes, informese sobre as suas épocas de defeso. Assim estará a ser um consumidor responsável e a contribuir para a sustentabilidade dos ecossistemas marinhos.